Seguidores do Google

OCUPAÇÕES E MISSÕES DOS ESPÍRITOS



OCUPAÇÕES E MISSÕES DOS ESPÍRITOS


Os Espíritos cuidam de outra coisa, além do seu melhoramento pessoal?
- Concorrem para a harmonia do Universo, executando a vontade de Deus, do qual são os ministros.  A vida espírita é uma ocupação contínua, mas nada tem de penosa como a da Terra, pois não está sujeita à fadiga corpórea nem às angústias da necessidade.

Os Espíritos da ordem mais elevada, nada mais tendo a adquirir, entregam-se a um repouso absoluto ou têm ainda ocupações?
- Que querias que eles fizessem por toda a Eternidade?  A eterna ociosidade seria um suplício eterno.

Qual é a natureza de suas ocupações?
-  Receber diretamente as ordens de Deus, transmitir –las por todo o Universo e velar pela sua execução.

Em que consistem as missões de que podem ser encarregados os Espíritos errantes?
- São tão variadas que seria impossível descrevê-las; existem, aliás, as que não podereis compreender.  Os Espíritos executam a vontade de Deus e não podeis penetrar todos os seus desígnios.
As missões dos Espíritos têm sempre o bem por objeto.  Seja como Espírito, seja como homens, são encarregados de ajudar o progresso do humanidade, dos povos, ou dos indivíduos num círculo de idéias mais ou menos largo mais ou menos especial, de preparar as vias para certos acontecimentos, de velar pela realização de certas coisas.  Alguns têm missões mais restritas e de certa maneira pessoais ou inteiramente locais, como de assistir os doentes, os agonizantes, os aflitos, de velar pelos que estão sob a sua proteção de guias, de dirigi-los pelos seus conselhos ou pelos bons pensamentos que lhes sugerem. Pode-se dizer que há tantos gêneros de missões quantas as espécies de interesses a resguardar, seja no mundo fisico ou no mundo moral.  O Espírito se adianta segundo a maneira por que desempenha sua tarefa.

Os Espíritos compreendem sempre os desígnios que estão encarregados de executar?
- Não; há os que são instrumentos cegos, mas outros sabem muito bem com que objetivo agem.

Só há Espíritos elevados no cumprimento de missões?
- A importância das missões está em relação com a capacidade e a elevação do Espirito.  O estafeta que leva um despacho cumpre também uma missão, que não é a do general.

A missão de um Espírito lhe é imposta ou depende de sua vontade?
     -  Ele a pede e alegra-se de a obter.               

A mesma missão pode ser pedida por muitos Espíritos?
- Sím, há sempre muitos candidatos, mas nem todos são aceitos.

Em que consiste a missão dos Espíritos encarnados?
- Instruír os homens, ajudá-los a avançar, melhorar as suas ínstítuições por meios diretos e materiais.  Mas as missões são mais ou menos gerais eimportantes.  Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui.  Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmotempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providêncía.  Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido.

As ocupações comuns nos parecem antes deveres que missões propriamente ditas.  A missão, segundo a idéia ligada a essa palavra, tem um sentido de importância menos exclusivo e sobretudo menos pessoal.  Desse ponto de vista, como se pode reconhecer que um homem tem uma missão real na Terra?
- Pelas grandes coisas que ele realiza, pelo progresso que faz os seus semelhantes realizarem.

Os homens que têm uma missão importante são predestinados a ela antes do nascimento e têm conhecimento disso?
-Às vezes, sim, mas na maioria das vezes o ignoram.  Só têm um vago objetivo ao virem para a Terra; sua missão se desenha após o nascimento e segundo as circunstâncias.  Deus os impulsiona pela vía em que devem cumprir os seus desígnios.

Quando um homem faz uma coisa útil é sempre em virtude de uma missão anterior e predestinada ou pode receber uma missão não prevista?
- Tudo o que um homem faz não é conseqüência de uma missão predestinada; ele é freqüentemente o instrumento de que um Espírito se serve para fazer executar alguma coisa que considera útíl.  Por exemplo, um Espírito julga que seria bom escrever um livro que ele escreveria se estivesse encarnado, procura o escritor mais apto a compreender o seu pensamento e a executá-lo, dá-lhe então a idéia e o dirige na execução. Assím este homem não veio à Terra com a iníssão de fazera obra.  Acontece o mesmo com alguns trabalhos de arte e com as descobertas.  Deve-se dizer ainda que durante o sono do corpo o Espíríto encarnado comuníca-se diretamente com o Espíríto errante, e que se entendem sobre a execução.

O Espírito pode falir na sua missão, por sua culpa?    Um caso  
- Sim, se não for um Espíríto superior.
Quais são para ele as conseqüências?
- Terá de reíniciar a tarefa; está nisso a punição.  Depois sofrerá as conseqüências do mal que tenha causado.

Pois que o Espírito recebe a sua missão de Deus, como Deus pode confiar uma missão importante e de interesse geral a um Espírito que poderia falir?
- Deus não sabe se o seu general será vítoríoso ou vencido?  Ele o sabe, estai certos, e seus planos, quando importantes, não dependem desses quedevem abandonar a obra em meío do trabalho.  Toda a questão está, para vós, no conhecimento do futuro, que Deus possui mas que não vos é dado.

O Espírito que se encarna para cumprir uma missão tem as mesmas apreensões daquele que o faz como prova?
- Não; ele tem experiência.

Os homens que são os faróis do gênero humano, que o esclarecem pelo seu gênio, têm certamente uma missão.  Mas no seu número há os que se enganam e que, ao lado de grandes verdades, difundem grandes erros.  Como devemos considerar a sua missão?
- Como falseada por eles.  Estão abaixo da tarefa que empreenderam. É necessário entretanto tomar em conta as circunstâncias: os homens de gênio devem falar segundo o tempo, e um ensino que parece errôneo ou pueril para uma época avançada poderia ser suficiente para o seu século.

Pode-se considerar a paternidade como uma missão?
  - É, sem contradita, uma missão.  E ao mesmo tempo um dever muito grande, que implica, mais do que o homem pensa, sua responsabilidade para o futuro.  Deus põe a criança sob a tutela dos pais para que estes a dirijam no caminho do bem.  E lhes facilitou a tarefa dando à criança uma organização débil e delicada, que a toma acessível a todas as impressões. Mas há os que maís se ocupam de endireítar as árvores do pomar e de fazê-Ias carregar de bons frutos do que em endireitar o caráter do filho.  Se este sucumbir por sua culpa terão de sofrer a pena, e os sofrimentos da criança na vída futura recairão sobre eles, porque não fizeram o que lhes competia para o seu adiantamento nas vias do bem.

Se uma criança se transviar, apesar dos cuidados dos pais, estes são responsáveis?
- Não; mas quanto mais as dísposíções da criança são más, mais a tarefa é pesada e maior será o mérito se conseguirem desvíá-la do mau caminho.


Fonte: Livro dos Espíritos – Allan Kardec -  Cap. X